Pesquisa revela como brasileiros lidam com o autocuidado na pandemia

Pesquisa revela como brasileiros lidam com o autocuidado na pandemia

Quase 3 em cada 4 pessoas pretendem buscar mais equilíbrio entre trabalho, família, amigos e autocuidado no pós-pandemia

O isolamento social obrigou as pessoas a rever hábitos, rotinas, atividades de lazer e dinâmicas de trabalho, mas também levou a imensa maioria a repensar a qualidade de vida de forma definitiva. Se esse foi um período para despertar para a importância do autocuidado e de hábitos mais saudáveis, também foram meses que serviram para repensar a saúde mental e física. Levantamento feito pelo C.Lab, o laboratório interno de pesquisas da Nestlé, com 600 pessoas em todas as regiões do País – homens e mulheres entre 25 e 55 anos – apontou que 73% dos entrevistados querem manter a harmonia entre os hábitos adquiridos e a rotina anterior. 

Abaixo, outros achados:

 Reconexão e propósito: novos valores e o equilíbrio como palavra-chave 

Para 9 em cada 10 entrevistados a pandemia foi um momento de rever o que é importante, como família e saúde. 59% das pessoas passaram a fazer ou a valorizar mais atividades de autocuidado, entre elas práticas de exercícios físicos e meditação. Quanto às atividades vistas como autocuidado mais praticadas na pandemia e que a ideia é manter no pós-isolamento, assistir a  filmes, séries,  shows e lives foi a grande campeã, com 47% das citações, seguida por descansar mais e dormir bem, com 43%. Cuidar mais da alimentação, valorizar mais a família e amigos, além de praticar exercícios físicos completam o top 5 do novo cardápio pós-quarentena. Foram as principais maneiras encontradas pelos respondentes para buscar o equilíbrio e manter-se conectado consigo mesmo durante a pandemia.

Cuidar da saúde e da mente 

A saúde emocional passou a ser vista com a mesma importância da saúde física para 75% dos respondentes, e 61% deles reconhecem que começaram a cuidar mais do equilíbrio entre corpo e mente durante a pandemia. 3 em cada 5 respondentes concordam que durante a pandemia o autocuidado ganhou relevância. Mais da metade (55%) concorda que conseguiu adquirir hábitos mais saudáveis com o confinamento e 62% dos entrevistados começaram ou intensificaram as atividades físicas durante a pandemia.

Um novo olhar para a alimentação 

Enquanto 74% dos entrevistados começaram ou aumentaram os cuidados com a alimentação, 64% pretendem manter os novos hábitos saudáveis no pós-pandemia.

Mais da metade (53%) dos entrevistados afirmam que têm se alimentado melhor, enquanto 35% dizem que estão consumindo maior quantidade de suplementos e alimentos fortificados com vitaminas e minerais. Para 55% deles, cozinhar junto ofereceu momentos únicos e divertidos em família.

A pesquisa é parte do projeto “Sinta-se Molico”, que teve o objetivo de entender como os brasileiros estão lidando com o autocuidado na pandemia e quais os aprendizados que ficam como legado desse período. A marca, líder em nutrição adulta e saudável, tem investido em inovação e renovação do portfólio, antecipando-se às tendências em novos hábitos e consumo de produtos. O ano de 2020 trouxe uma linha que atende a diferentes perfis, sempre com foco em fortalecer a saúde e a imunidade. Outra frente é a de ações com o consumidor, como a plataforma Move, símbolo da conexão da marca com a saúde do corpo e da mente.

Move é um método de fortalecimento para o corpo e mente que foi lançado em 2020 e que trouxe aulas de 20 minutos de duração com exercícios para soltar, relaxar, dançar, alongar, meditar e restaurar, no YouTube da marca. Foi realizado com parcerias como Exercícios em Casa, Grupo de Teatro Barbixas, Fit Dance, Superioga e Fabi Santana.

 Pesquisa Sinta-se Molico* 

  • 73% pretendem manter os hábitos saudáveis que adquiriram durante a pandemia, mesmo depois do fim do isolamento, com maior equilíbrio entre  trabalho, família, amigos e cuidados com si  mesmo
  • Para 9 em cada 10 entrevistados a pandemia foi um momento de rever o que é importante, como família e saúde
  • 59% das pessoas passaram a fazer ou a valorizar mais atividades de autocuidado
  • 3 em cada 4 (75%) passaram a considerar a saúde emocional tão importante quanto a saúde física durante a pandemia
  • 61% afirmam que começaram a cuidar mais da saúde emocional e do equilíbrio entre corpo e mente durante a pandemia
  • 40% acreditam que o autocuidado está diretamente relacionado à preocupação com a saúde física e mental
  • 59% das pessoas passaram a fazer ou a valorizar mais atividades de autocuidado buscam alguma forma de espiritualidade
  • 53% concordam que têm se alimentado melhor durante a pandemia, sendo que 35% passaram a consumir mais suplementos ou alimentos fortificados com vitaminas e minerais
  • 74% começaram ou aumentaram os cuidados com alimentação; 64% desejam manter a alimentação saudável que adquiriram

Dados da amostra: 

*Pesquisa conduzida com 600 pessoas, homens e mulheres entre 25 e 55 anos, das classes ABCDE, de todas as regiões do Brasil. Período: setembro/2020. Pesquisa quantitativa online, realizada via painel de usuários MeSeems

Deixe uma resposta